O aumento da temperatura dos oceanos pode ser muito mais perigoso do que, simplesmente, elevar os níveis dos mares. Segundo o pesquisador Sergei Petrovskii, professor de matemática aplicada na Universidade de Leicester, no Reino Unido, o aumento nos termômetros pode modificar consideravelmente a quantidade de oxigênio no ar. A justificativa para isso, conforme estudo publicado no Boletim de Biologia Matemática, é a relação entre os fitoplânctons e o ar. De acordo com a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA (NOAA), as plantas marinhas, entre elas os fitoplânctons, produzem, em média, 50% do oxigênio atmosférico da Terra, com a mudança nas temperaturas, a capacidade fotossintética dessas plantas também muda.

Jonas Becker

Sobre Jonas Becker

Jonas Becker é engenheiro de produção e há cinco anos resolveu empreender na área da sustentabilidade. Virou um especialista em energia renováveis e desenvolveu projetos de energia solar e eólica para todo o Brasil com a empresa ECO Energia (www.ecoenergia.eng.br).